quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Primeira e ultima vez.

Meu querido diário,

Hoje tenho coisas extraordinárias a lhe dizer. Hoje perdi minha virgindade.
Chegando na casa do meu ex-namorado, já decidida a perder a virgindade com ele, reparei em suas atitudes. Ele estava estranho de uma forma não muito agradável, sei lá. Parecia nervoso com o que iria acontecer, então me chamou para dentro do quarto. Inocentemente, entrei, olhei em seus olhos e lhe disse para ir com calma, pois era minha primeira vez. Mas não...
Ele me puxou com uma brutalidade toda, rasgou minha roupa com suas mãos e sua boca, me fez chupar toda sua pica. Sua pica era de tamanho extraordinário. Penetrou totalmente dentro de minha boca, fazendo encostar até o final da minha garganta. Totalmente uma "garganta profunda". Foi uma coisa de outro mundo! Confesso que deu um certo prazer, mas realmente senti um nojo, quase vomitei naquela pica enorme.
Já desesperada, pedi para ele ir com calma, pois era minha primeira vez, mas ele não estava nem aí! Continuou totalmente na brutalidade comigo, logo me deixando de pernas abertas. Socou tudo dentro de mim, sem dó nem piedade. Gritei, gritei, chorei de dor, pedi à ele que parasse, pois estava a doer muito, mas ele não parava. Continuou bombeando fortemente com ferocidade, gemendo de prazer (eu estava a sangrar pelas pernas, virando-me e ficando de quatro). Pôs-se a penetrar e começar toda aquela dor novamente... Faltou-lhe somente socar suas bolas dentro de mim. Foi horrível. Eu, já chorando, pedi que parasse, pois não agüentava mais... Mas ele não ligava, batia na minha cara com força, e chegando ao seu orgasmo, meteu-lhe sua incrível pica novamente em minha boca, fazendo-me engolir toda sua gala. Saí cuspindo tudo no chão, o empurrei e me vesti.
Depois dessa minha “experiência sexual”, nem um pouco agradável, saí correndo pela rua em direção à minha casa. Precisava desabafar isso para alguém, e nada melhor do que meu querido diário.
Meu querido diário, estou aqui para lhe dizer que essa foi a primeira e última vez que transo com homem. Peguei nojo de homens.
Acaso lembro-me de que tive uma experiência com uma coleguinha de escola quando mais jovem... Depois dessa brutalidade que esse homem me fez, decidi minha opção sexual.
Ah, meu querido diário! A partir de hoje, chuparei muitas bucetas por aí! Não quero saber mais de picas me penetrando. Homens em minha vida sexual jamais!

Muito obrigado querido diário.

Beijos e... tchau.

Um comentário:

Raphael Freire disse...

Querido Eduardo, até que você tem uma boa imaginação, mas faltou detalhes, sutileza.Texto erótico não é texto pornográfico. Mas o pior não foi isso, foi o fato de você ter colocado que a personagem do seu conto decidiu sua OPÇÃO sexual. Meu querido, isso ninguém escolhe ou opta, o termo correto é orientação sexual. Você acha mesmo que um homossexual optaria por sofrer discriminação, preconceito, ser motivo de chacota e exculsão?Eu sinceramente acredito que não. Se você quiser, podemos trocar emails, scraps etc sobre assuntos ligados a sexualidade humana, tenho certeza que seus textos ficarão bem belhores, dgnos de elogios. Abraço