domingo, 13 de dezembro de 2009

Assim caminha a humanidade

É legal quando nos detemos a falar de defeitos, de erros, de situações onde as pessoas falham, aí dizemos, é humano. É humano perder o foco da atenção e entregar a energia para as lajotas da sala, as vezes. É humano sentir um leve desiquilíbrio, e até cair, desmontando o corpo de forma cômica. É humano não ter força para aguentar tudo, e se sentir incapaz. É humano ter limites.

Ser animal também é ser humano. Afinal, somos primatas, somos mamíferos, somos artistas. É humano perder o controle sobre si e avançar contra o próximo, destroçando sua carne. É humano não ter limites. É humano ser desumano, as vezes.

Em certas situações, quando estamos no limite da existência, somos humanos, somos vítimas, somos cruéis. Quando falta o ar, quando falta o sangue, ou o fôlego de algo mais íntimo de realização, quando a morte se apresenta... Sentimos o que é ser humano. É desumano.

Um comentário:

ElderF. disse...

Reafirmo: As vezes mais animal que homem, homem sendo biologicamente animal, o encaixe seria "mais próximo as extremidades evolutivas da sua espécie, do que do atual estado". Esse estado de monstros civilizados.