segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Tsss

(Por Delianne Lima)

Era uma quarta-feira qualquer. Metade da semana. Os dias parecem mais bonitos depois dela, a quarta-feira. No balançar das minhas mãos, sinto o vento correr, gracioso, por entre meus dedos. Sem o frio, sinto a brisa lavar meu corpo do calor do sol forte.

Meu rosto gosta de sorrir. “É melhor do que chorar”, pensa.

Logo meu cérebro cantarola uma música que me dá vontade de cantar. Penso nas pessoas ao redor. Todo mundo ia olhar. Porque olham? Seria inveja, repressão, vontade ou o que? Quero cantar. Meus fones de ouvido cantariam comigo em uma musicalidade singular e solene. Vou cantar.

Na medida em que verbalizo cada nota, meu sorriso se expande. Meus dedos dançam junto com o vento e minhas pernas tornam-se saltitantes. Pulo em um banco de pedra. Canto algo em algum canto alto. Canto alto. Tão alto que não consigo ouvir minha voz. Os fones de ouvido compartilham o volume comigo, apenas.

Já nem percebo os olhares – e olha que são muitos. Respondo cada um com um sorriso corpóreo. Sorriso em movimento. Beijos em movimentos. Abraços sorridentes de liberdade.

Hoje é o meu aniversário.